sábado, setembro 24, 2005

É estranho sorrir.

A alegria sempre foi um sentimento estranho para mim. Na verdade eu nunca consegui lidar muito bem com esse estágio. É, estou alegre sim. Alegria de criança quando ganha o seu próprio quarto, o seu próprio mundo. É como estou me sentindo. Os braços sobram, o riso sai fácil e a capacidade de refletir diminui drasticamente. No lugar, apenas uma entorpecida e estranha energia.
(...)
Não sei muito o que dizer, as palavras faltam durante a alegria. Os atos sobram...

0 comentários:

Postar um comentário

<< Home