segunda-feira, outubro 10, 2005

Incenso, MPB e "felicidade reflexiva"

"Alegria" é a mesma coisa que "Felicidade"? Qual seria a diferença? Foi pensando sobre isso que cheguei à hipótese que existem dois tipos de felicidade (não sei se o termo "alegria" caberia aqui, o que nos daria uma pista para uma possível e futura diferenciação):
A primeira, bem mais comum, é a felicidade corporal. Independente da origem, este tipo é sentido fisicamente (como mencionei em um post anterior, uma estranha energia atravessa todo o corpo fazendo com que o riso saia fácil e os braços sobrem). O mais importante na "felicidade corporal" é que a capacidade de refletir diminui bastante. Essa é, na minha opinião, a diferença essencial do primeiro para o segundo e mais raro tipo de felicidade, a "felicidade reflexiva".
Nesta última, não há a necessidade de sair por aí saltitando. É como se a tal energia não transpirasse pelo corpo e sim fosse reaproveitada internamente, numa espécie de efeito homeopático mental. Surge, então, a opção pelo isolamento, pelo intimismo e pela reflexão. É uma felicidade sentida apenas pelos neurônios e por alguns outros tipos de células.
No final das contas percebi que passei distante da diferenciação entre "felicidade" e "alegria". Isso realmente importa?

3 comentários:

At 1:28 AM, Blogger Tio BOB said...

É gostoso brincar de dar nome as coisas. Eu adoro! Pena que na verdade é tudo mentira!

 
At 5:40 PM, Blogger Luiz Sousa said...

Na realidade atual em que vivemos, percebo que estamos cada vez mais buscando respostas para nossas perguntas existenciais na raiz primária dos pensamentos humanos. Tanto já foi dito e ponderado em linhas de raciocínio as mais diversas ao redor do mundo, sobre alegria, felicidade e amor, mas nada parece acalmar nossos ânimos e a sede de perguntar por um outro ângulo.

 
At 12:53 AM, Blogger Yanco said...

Ramon,

A princípio, serei bem gramático. Podemos dizer que ‘alegria’ concerne à um acontecimento feliz. Contudo, segundo seu texto, não ajudaria muito tal acepção. Recorrendo ao dicionário, encontram-se vários sinônimos: contentamento; regozijo; satisfação; prazer; festa; divertimento; júbilo; jovialidade... Por outro lado, ‘felicidade’ refere-se, segundo o ‘pai dos burros’, à ventura, bem-estar, contentamento e etc. Conforme disse, também não ajuda muito a gramaticidade em um tema filosófico.

Isto posto, pode-se dizer que realmente não importa diferenciar os dois. Poderíamos, de bom grado, ficar com a acepção popular de que alegria é momentânea e felicidade é duradoura.

Essa chamada ‘felicidade reflexiva’ é pouco usual em nossa sociedade contemporânea. Até por que é um tipo de comportamento que predispõe aquela pergunta: ‘ué, você está feliz por que?’ ou, pior ainda: ‘hã? Vc ta feliz!? Nem parece...’ A reflexão se tornou algo triste. Tudo, atualmente, deve ser às claras. Muitos comportamentos tornam-se, portanto, volúveis, frívolos e levianos. Contíguo a isso, vêm também os relacionamentos frívolos, idéias volúveis e etc.

Não sei se me fiz entender.

Yanco.

 

Postar um comentário

<< Home